Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

My cup of tea

"You can never get a cup of tea large enough or a book long enough to suit me" C. S. Lewis

My cup of tea

"You can never get a cup of tea large enough or a book long enough to suit me" C. S. Lewis

Uma paixão chamada livros #21

21. Melhor citação (diálogo)

Esta pergunta e a de amanhã foram o descalabro. Não tenho por hábito memorizar passagens nem sublinhar livros. Talvez agora repense nisso e passe a por post-its nas partes que achar mais interessantes. A primeira reação foi: " Não faço ideia, mas até lá hei-de ter alguma epifania.". Não tive. Fui buscar um ou dois livros com passagens que eu me lembrava vagamente e que lá teriam o seu quê de interessante.

Neste pergunta vi-me obrigada a recorrer novamente ao "Meu pé de Laranja Lima". Para quem tem perguntado o que aborda acho que este diálogo é capaz de vos elucidar.

O Portuga estendeu-se no chão, forrou com o colete uma raiz de árvore e falou:

- Agora, toca a tirar uma soneca.

- Mas eu não estou com vontade.

- Não importa. Não vou te deixar solto por aí, peralta como és.

Passou a mão sobre o meu peito e me fez prisioneiro. Ficamos um tempão olhando nas nuvens escaparem por entre os galhos de árvores. Tinha chegado o momento. Se eu não falasse agora, nunca mais o faria.

- Portuga!

- Hum...

- Você está dormindo?

- Ainda não.

- É verdade aquilo que você disse a seu Ladislau, na Confeitaria?

- Ora, tantas coisas eu tenho dito a seu Ladislau, na Confeitaria.

- A meu respeito. Eu ouvi. Do carro eu ouvi.

- E o que ouviste?

- Que você gosta muito de mim?

- Está claro que gosto muito de ti. Que diferença faz?

Aí eu me virei, sem me libertar de seus braços. Fitei os seus olhos semicerrados. Seu rosto assim ficava mais gordo e parecido com um rei.

- Não, mas eu quero saber com força se você gosta mesmo de mim?

- Claro, bobinho.

E me apertou mais para comprovar o que dissera.

- Eu estive pensando seriamente. Você só tem aquela filha do Encantado, não é?

- É.

- Você mora sozinho naquela casa com as duas gaiolas de passarinhos, não é?

- É.

- Você disse que não tem netos, não é?

- É.

- E você disse que gosta de mim, não é?

- É.

- Então porque você não vai lá em casa e pede para papai me dar para você?

Ele ficou tão emocionado que se sentou e me segurou o rosto com as duas mãos.

- Tu gostarias de ser meu filhinho?

- A gente não pode escolher o pai antes de nascer. Mas se pudesse eu queria você.

- Verdade, pirralho?

- Posso até jurar. Depois eu seria uma pessoa a menos para comer. Eu prometo que não falo mais palavrões, nem bunda mesmo. Eu engraxo os seus sapatos, trato dos passarinhos na gaiola. Fico bonzinho de todo. Não vai haver melhor aluno na escola. Faço tudo, tudo direitinho.

Ele nem sabia o que responder.

- Lá em casa todo o mundo morre de alegria se eu for dado. Vai ser um alívio. Eu tenho uma irmã entre Glória e Antônio que foi dada pro Norte. Foi viver com uma prima que é rica, para estudar e ser gente...

O silêncio continuava e seus olhos estavam cheios de lágrimas.

- Se não quiserem dar. você me compra. Papai está sem dinheiro nenhum. Garanto que ele me vende. Se pedir muito caro você pode me comprar a prestações, do jeito que seu Jacob vende...

Como ele não respondesse eu voltei à antiga posição e ele também.

- Sabe Portuga, se você não me quer, não faz mal. Eu não queria fazer você chorar.

Ele alisou demoradamente os meus cabelos.

- Não é isso, meu filho. Não é isso. A vida a gente não resolve assim de uma só manobra. Mas eu vou-te propor uma coisa. Não poderei te tiara de teus pais nem de tua casa. Se bem que gostasse muito de o fazer. Isso não é direito. Mas de agora em diante, eu que gostava de ti como um filhinho, vou-te tratar como se fosses mesmo meu filho.

Eu me ergui exultante.

- Verdade, Portuga?

- Posso até jurar, como tu sempre dizes.

Fiz uma coisa que raramente fazia ou gostava de fazer com meus familiares. Beijei o seu rosto gordo e bondoso.

É enorme, eu sei. Mas também é incrivelmente bonito, pelo menos para mim. Lemos muito sobre o amor, mas pouco sobre o amor entre dois amigos. Muito menos entre dois amigos com idades tão dispares.

3 comentários

Comentar post